quinta-feira, 2 de junho de 2011

O JIRAIYA REALMENTE EXISTIU!




É isso mesmo, existiu e com certeza era mais legal que o ninja Jiraiya dos anos 70!

Jiraiya, surgiu co mo uma das primeiríssimas figuras Ninja do Japão pós-medieval.

Jiraiya (児雷也- literalmente "jovem trovão"), é o personagem-título do conto japonês Jiraiya Gōketsu Monogatari (児雷也豪 杰物, "O Conto do Jiraiya Gallant"), é um ninja que usa metamorfose mágica para se transformar em um gigantesco sapo.

Herdeiro de um poderoso clã de Kyushu do mesmo nome, Jiraiya se apaixonou por Tsunade, uma jovem linda princesa que domina o caracol mágico. Seu arqui-inimigo era um de seus seguidores, Orochimaru, que dominou a cobra mágica.

Em cores, imagens do verdadeiro ninja Jiraiya do período Edo (século XVII).


Curiosidade:

Um ninja (忍者) ou Shinobi (忍び) era um agente secreto ou mercenário do Japão feudal especializado em artes de guerra não ortodoxas. As funções do ninja incluíam espionagem, sabotagem, infiltração e assassinato, assim como combate aberto em determinadas situações. Os ninjas, utilizando métodos secretos de fazer a guerra, foram contrastados com os samurais, que havia regras estritas sobre a honra e combate.

Em seu Buke Myōmokushō, o historiador militar Hanawa Hokinoichi escreve sobre o ninja:

"Eles viajavam disfarçados para outros territórios, para avaliar a situação do inimigo, eles teriam de achar o seu caminho no meio do inimigo para descobrir as falhas, e invadir castelos inimigos para incendiá-los, e realizar assassinatos, chegando em segredo."

Hanawa Hokinoichi

A origem do ninja é obscuro e difícil de determinar, mas pode ser resumido a ser por volta do século 14. No entanto, os antecedentes do ninjas podem ter existido tão cedo quanto o Heian e no início da era Kamakura.

Existem poucos registros escritos para detalhar as atividades do ninja. O shinobi palavra não existia para descrever um ninja como agente até o século 15, e é improvável que os espiões e mercenários antes dessa época eram vistos como um grupo especializado. Na agitação do período Sengoku (séculos 15 - 17), mercenários e espiões contratados surgiram das regiões de Iga e Koga no Japão, e é a partir desses clãs que muito do conhecimento posterior sobre o ninja é inferido. Após a unificação do Japão sob o xogunato Tokugawa, os ninjas caíram novamente no esquecimento. No entanto, nos séculos 17 e 18, manuais como o Bansenshukai (1676), muitas vezes centrados em torno da filosofia militar da China, apareceram em número significativo. Estes escritos revelaram uma variedade de filosofias, crenças religiosas, a sua aplicação na guerra, bem como as técnicas de espionagem que formam a base da arte ninja. As palavras Ninjutsu e Ninjitsu mais tarde viriam a descrever uma grande variedade de práticas relacionadas com os ninjas.

A natureza misteriosa do ninja capturou a imaginação popular no Japão, e depois o resto do mundo. Ninjas são figuras proeminentes no folclore e lendas, e como resultado muitas vezes é difícil separar fato histórico e mito. Algumas habilidades lendárias incluem invisibilidade, andar sobre a água, e controle sobre os elementos naturais. O ninja também é prevalente em cultura popular, aparecendo em várias formas de mídias de entretenimento.